Advogado é acusado de estuprar a própria filha de 10 anos

 


Acusado de estuprar a própria filha – uma menina de 10 anos – advogado pediu novo afastamento da diretoria da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional de Mato Grosso do Sul.
O profissional terá o nome omitido nesta reportagem para proteger a menina de ser identificada, como rege o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).
O escândalo veio à tona em junho do ano passado, após a mãe da menina – separada do pai – denunciar o advogado por suposto abuso sexual. Ela acusou o ex-marido dos abusos durante estadia da filha na residência no Itanhangá Park, região nobre de Campo Grande.Acusado de estuprar a própria filha – uma menina de 10 anos – advogado pediu novo afastamento da diretoria da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional de Mato Grosso do Sul. O profissional terá o nome omitido nesta reportagem para proteger a menina de ser identificada, como rege o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

O escândalo veio à tona em junho do ano passado, após a mãe da menina – separada do pai – denunciar o advogado por suposto abuso sexual. Ela acusou o ex-marido dos abusos durante estadia da filha na residência no Itanhangá Park, região nobre de Campo Grande.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, registrado pela mãe da criança, a filha foi visitar o pai – então com 59 anos – e ao retornar, contou que ele passa as mãos em suas partes intimas, tanto no seio, como no bumbum. Ela contou para a mãe, que isso acontece desde quando ela era casada com o homem, mas não sabe dizer a data certa. A genitora disse aos policiais que nunca suspeitou dos abusos. O caso foi registrado na DEPCA (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente).

Parte importante da atual gestão da OAB/MS, o advogado então pediu afastamento alegando que ‘provaria sua inocência’. Porém, conforme documento obtido pelo TopMídiaNews, da semana passada – mais precisamente datado de 3 de fevereiro – o profissional solicitou afastamento, inclusive sendo substituído.

Para o seu lugar, o presidente da Ordem Mansour Elias Karmouche indicou Walfrido Ferreira Azambuja Junior, conselheiro estadual decano da entidade.

Karmouche, porém, se nega a expulsar o advogado acusado de estupro da própria filha, aliado de longa data na política da Ordem.

A reportagem apurou que o inquérito policial já foi encaminhado para o Ministério Público indiciando o advogado, ou seja, alegando que ele seria culpado das acusações.


Fonte: Top Mídia News