Goiás registra 3.742 infectados pelo coronavírus em um dia e tem 15 hospitais com 100% de ocupação de UTIs

 

Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Rede hospitalar de Goiânia alcança 98% de ocupação das UTIs e das enfermarias. Ao todo, 408.707 pessoas em Goiás contraíram do vírus e 8.777 morreram desde o início da pandemia.


Goiás registrou 3.742 pessoas contaminadas pelo coronavírus em 24 horas e o avanço da doença entre a população nas últimas semanas provoca sobrecarga no sistema de saúde. O boletim integrado das vagas hospitalares mostraram que 15 hospitais bateram 100% de UTIs ocupadas nesta quinta-feira (4), de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES).

A rede assistencial de saúde do estado tem 31 hospitais com 427 vagas disponibilizadas, ou seja, quase metade das unidades públicas e das conveniadas não conseguem mais internar pacientes. A taxa média de ocupação das UTIs estaduais alcançou 96%, enquanto o índice na enfermaria é de 83%.

A situação da rede hospitalar de Goiânia é mais crítica. Os dados da SES revelam que 98% das UTIs e das enfermarias estão ocupadas. O município tem 247 leitos especiais e apenas quatro estão desocupados, enquanto duas vagas das 166 de enfermaria podem ser ocupadas.

Ao todo, 408.707 pessoas em Goiás contraíram do vírus desde o início da pandemia. O número de mortes pela doença chegou a 8.777. Nas últimas 24 horas, morreram 63 pessoas.

Na terça-feira (2), Goiás registrou o recorde de casos de coronavírus em 24 horas. Foram 4.359 pessoas infectadas.

Cenário de calamidade

O governo estadual definiu três cenários que a pandemia pode chegar nas regiões de Goiás: situação de alerta, situação crítica e de calamidade. As prefeituras inserem semanalmente dados no sistema da SES, que aponta em qual situação o município se encontra. A partir disso, a secretaria determina orientações de como cada cidade deverá agir para evitar o avanço da doença.

O balanço da situação das regiões é divulgado semanalmente pela SES e, nesta quinta-feira, 17 regiões se encontravam em situação de calamidade e apenas uma estava na zona crítica.

Toque de recolher
Com a situação de calamidade em quase todas as regiões do estado, cidades adotaram medidas mais severas para conter o avanço da Covid-19. No Entorno do DF, por exemplo, prefeitos adotaram o fechamento total do comércio não essencial e o toque de recolher. Entre 20h e 5h, os moradores não podem ficar em vias públicas.

Na Região Metropolitana de Goiânia, várias cidades, incluindo a capital, definiram que bares, restaurantes, comércios de rua, academias e igrejas deverão ficar fechados.

Na maior parte das cidades, o decreto vale por sete dias. Depois desse período, as medidas serão reavaliadas pelas prefeituras, podendo ser prorrogadas.

Goiânia e cidades da Região Metropolitana proíbem serviços não essenciais
Cidades do Entorno do DF adotam toque de recolher e fecham comércios
Caldas Novas e Pirenópolis determinam medidas mais rígidas para conter a Covid-19

Hospitais lotados
Com o avanço do vírus entre a população goiana, 15 hospitais da rede estadual de saúde registraram 100% de ocupação dos leitos de UTIs nesta quarta-feira:

Jataí/Hospital das Clínicas
Itumbiara/Hcamp
Anápolis/Huana
São Luís de Montes Belos/Hospital Vital
Trindade/Hutrin
Goiânia/Hcamp
Formosa/Hcamp
Goiânia/HDT
Jaraguá/Heja
São Luís de Montes Belos/Hcamp
Catalão/Nars Faiad
Hospital Ortopédico de Goiânia
Gastro Salustiano Hospital
Santa Casa de Misericórdia de Goiânia
Hospital Jacob Facuri
Vacinação
Um levantamento oficial realizado pela SES apurou que, referente à primeira dose, foram aplicadas 231.947 doses das vacinas contra a Covid-19 em todo o estado. Em relação à segunda dose, foram vacinadas 52.841 pessoas até esta quinta-feira.

Em relação ao recebimento e distribuição de vacinas, o estado já recebeu 438.480 doses, sendo 319.480 da CoronaVac e 119 mil da AstraZeneca.

Evolução dos casos
Casos confirmados:

O governo estadual registrou os três primeiros casos de Covid-19 em 12 de março;
Em 6 de maio, Goiás ultrapassou 1 mil casos confirmados e atingiu 45 mortes;
Em 15 de junho, o estado contabilizou 10 mil casos de coronavírus e 226 mortes;
Em 14 de agosto, o estado ultrapassou 100 mil casos confirmados da doença;
Goiás ultrapassa 150 mil casos em 9 de setembro;
Em 18 de dezembro, o número dobrou, ultrapassando 300 mil casos;
A Secretaria de Saúde informou no dia 30 de janeiro que foram registrados 350 mil casos;
Goiás registrou recorde de casos em um dia em 2 de março, com 4.359 novos infectados.
Mortes confirmadas:

A primeira morte por coronavírus registrada em Goiás foi em 26 de março;
A marca de 1 mil mortes foi registrada em 16 de julho, dois meses após o início da pandemia em Goiás;
A marca de 3 mil mortos foi atingida em 28 de agosto;
Em 7 de outubro, Goiás ultrapassou as 5 mil mortes pela doença;
Goiás chegou a 8 mil mortes em 15 de fevereiro de 2021;
O estado registrou 50% mais mortes em fevereiro em relação a janeiro de 2021;
O recorde de mortes em 24 horas foi de 169, registrado em 3 de março.

Fonte: G1