Jornalista morre vítima da Covid-19, em Goiânia

 

Foto: Fernando Lobão/Arquivo Pessoal

Conhecido como Fernando Lobão, ele tinha 44 anos e morava em Rubiataba. Segundo a mãe, ele pegou Covid-19 em fevereiro e teve de ser internado.


O jornalista Fernando Arivelton de Souza Gomes, de 44 anos, mais conhecido como Fernando Lobão, morreu por complicações provocadas pela Covid-19 nesta segunda-feira (1º), em Goiânia, conforme relatou a mãe dele, Alana Gomes. Ele estava entubado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital e Maternidade Célia Câmara.

Segundo a mãe do jornalista, ele sentiu febre e tosse no início de fevereiro e procurou atendimento em Rubiataba, no Vale do São Patrício, onde morava há um ano. Ele conseguiu uma vaga no hospital da capital em 10 de fevereiro.

A mãe contou que ele se curou da Covid-19, mas os sintomas não passaram completamente.

"Ele chegou a melhorar, e os médicos tiraram a sedação. Depois, ele piorou. Aí ele sofreu um infarto e o corpo não aguentou. Ele era hipertenso e obeso", relata a mãe.
O corpo de Fernando Lobão foi sepultado nesta segunda-feira em Santo Antônio do Descoberto, no Entorno do Distrito Federal, onde a família mora.

Coronavírus
A prefeitura de Rubiataba informou que tinha 1.630 casos positivos e 43 mortes pela doença até a última sexta-feira (26).

Os dados mostram que 39 pacientes estão hospitalizados no município e outras 244 se recuperam em isolamento domiciliar. Quatro mortes ainda são investigadas para saber se têm relação com o coronavírus.

O município disse que concluiu a primeira fase da vacinação contra a doença, aplicando as doses em todos os idosos acamados com mais de 60 anos e pessoas com mais de 90 anos. Neste momento, a prefeitura vacina pessoas de 85 a 89 anos.

A prefeitura, no entanto, não divulgou dados da ocupação de leitos de UTI e enfermaria das unidades de saúde municipais.

Fonte: G1