Justiça italiana confirma sentença de prisão de Robinho por estupro

 

(Ivan Storti/Santos FC)

A Corte de Apelação de Milão, na Itália, confirmou a sentença de nove anos de prisão ao atacante Robinho, atualmente sem clube, por crime de estupro. Os detalhes da decisão de dezembro do último ano foram revelados nesta terça (9).

De acordo com os documentos, foi sustentado que a pena deveria ser mantida devido à manifestação de "particular desprezo em relação à vítima, que foi brutalmente humilhada". Além disso, a corte afirma que o jogador tentou "enganar as investigações oferecendo aos investigadores uma versão dos fatos falsa e previamente combinada".

A decisão da corte também reforça a ideia de que a vítima, uma jovem albanesa, não tinha condições de se defender. "O ilustrado quadro probatório demonstra em modo inequívoco, segundo a corte, o total estado de inconsciência da pessoa ofendida", diz a decisão. 

Robinho e o também brasileiro Ricardo Falco foram julgados por cometer violência sexual em grupo contra uma jovem albanesa numa boate em Milão. O crime aconteceu no dia 22 de janeiro de 2013.

No ano passado, em outubro, o Santos chegou a fechar um contrato com Robinho, mas diante da repercussão negativa e da pressão de patrocinadores, clube e atleta suspenderam o acordo até o julgamento em segunda instância, que aconteceu em dezembro.

Fonte: Uol