Gás de cozinha está mais caro nas refinarias do país

 


O gás de cozinha está mais caro nas refinarias do país.

Desde sexta-feira, 2 de abril, a Petrobras está cobrando mais caro pelo gás liquefeito de petróleo, o GLP.

O reajuste praticado pela estatal foi de 5%, o que significa um aumento médio de 15 centavos.

O quilo do GLP agora custa, nas refinarias, 3 reais e 21 centavos e, pelo botijão de 13 kg, as distribuidoras, então, pagam 41 reais e 68 centavos.

De acordo com a Petrobras, a alta do dólar e as elevações nas cotações internacionais do GLP justificam o reajuste.

Vale lembrar que os valores praticados nas refinarias são diferentes dos percebidos pelo consumidor final, já que são acrescidos tributos, além dos custos e margens das companhias distribuidoras e revendedoras.

Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, a ANP, em março, o consumidor brasileiro pagou, em média, 83 reais e 1 centavo pelo preço do botijão de 13 quilos de gás de cozinha.

O monitoramento feito pela agência apontou que, no terceiro mês do ano, o preço mínimo cobrado foi de 55 reais e 99 centavos, mas teve consumidor que pagou 120 reais pelo botijão.  

Para comparação, em março de 2020, há um ano, portanto, o consumidor pagava, na média, 69 reais e 94 centavos pelo produto, também segundo dados da ANP.