Homem tentar reatar namoro, ouve “não” e mata ex a facadas

 

Imagem: Ilustrativa

Divina Pereira da Silva, 47 anos, foi executada a facadas na madrugada deste sábado (10) dentro de sua casa no bairro Dom Oscar Romero, em Rondonópolis (212 km da Capital Cuiabá-MT).

A vítima teria sido assassinada pelo ex-namorado, identificado apenas como “Henrique”, com quem se relacionou por cerca de cinco meses, mas o acusado não aceitou o término.

De acordo com a ocorrência, Divina morava em uma quitinete no mesmo quintal da casa do restante da família.

Nesta madrugada, o ex teria chegado ao endereço de bicicleta, onde esfaqueou a mulher, pegou uma mochila e depois fugiu.

Parentes de Divina acordaram com ‘barulhos’ vindos do quintal e, quando foram ver o que aconteceu, encontraram Divina banhada em sangue sobre a cama.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas quando a equipe médica chegou apenas constatou a morte da mulher.

A Polícia Militar (PM) isolou o local e comunicou o fato à Delegacia de Polícia Civil e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), responsáveis pelos procedimentos no andamento da ocorrência.

Vizinhos ainda relataram que viram Henrique chegando ao endereço da vítima durante a madrugada.

Os familiares contaram à polícia que Divina namorou Henrique por pouco tempo, mas que o acusado teria invadido a casa para tentar voltar, mas como a vítima não aceitou foi assassinada.

A guarnição militar saiu em patrulhamento pela região buscando pelo acusado, quando encontraram a bicicleta dele abandonada na região.

A PM ainda se deslocou ao endereço de Henrique no bairro Três Poderes, patrulhou o bairro, mas o assassino não foi localizado.

A Politec analisou as condições em que o corpo foi encontrado e ainda periciou todo o perímetro da residência para coletar evidências que determinem as circunstâncias dos fatos.

Em seguida, o cadáver foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exame de necropsia, que vai determinar a causa clínica da morte, antes de o corpo ser liberado para os procedimentos fúnebres junto à família.

Os investigadores acompanharam o trabalho da perícia e deram início à apuração dos fatos.

Fonte: Repórter MT