Menos pessoas foram diagnosticadas com malária no Brasil em 2020 do que em 2019

 


Menos pessoas foram diagnosticadas com malária no Brasil em 2020 do que em 2019.

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, foram notificados 140 mil, 974 casos da doença no país no ano passado, total que é 10,5% menor ao registrado um ano antes, em 2019, quando foram notificados quase 157 mil e 500 casos.

Apesar da queda, no entanto, a pasta federal avalia que os números ainda representam cenário de alerta, principalmente na região Amazônica, onde são notificados quase todos os casos.

De cada 100 casos de malária confirmados no nosso país, 99 são em estados amazônicos: Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Há ainda uma outra questão que deixa o Ministério da Saúde em alerta: apesar da redução nos casos gerais de malária, no ano passado, houve aumento próximo a 33% nos casos por Plasmodium falciparum, espécie causadora de formas graves da doença.

A malária é uma doença infecciosa aguda, transmitida por um mosquito parecido com o pernilongo que pica principalmente ao entardecer e à noite, em zonas tropicais e subtropicais.

Os principais sintomas são febre alta, dor no corpo, pele amarelada e cansaço, além de anemia. Muitos pacientes, por causa da anemia, precisam de transfusões sanguíneas.

A malária não é transmitida de pessoa para pessoa.

Segundo dados divulgados pela Organização das Nações Unidas, em 2019, a doença malária infectou cerca de 229 milhões de pessoas e matou 409 mil delas em 87 países.

A África é a região mais afetada do planeta, com 94% dos casos e óbitos.